sábado, 14 de julho de 2012

Ass To Mouth


Você deve está se perguntando:  "O que significa Ass To Mouth???", pode deixar que vou explicar...

Também conhecido por ATM, A2M ou Arse To Mouth, ao pé da letra significa "do ânus para a boca". É um tipo de prática sexual em que o parceiro, após o sexo anal, coloca o pênis na boca da pessoa penetrada, que realiza, assim, sexo oral. Uma de suas variantes é o A2OGM, onde o pênis é retirado do ânus de um pessoa e colocado diretamente na boca de outra pessoa. 

Este tipo de prática tanto pode ser feita entre um homem e uma mulher, como entre homens, quer entre mulheres, usando os dedos ou os queridos brinquedinhos sexuais.

Nessa prática atenção redobrada para a higiene anal, aquela chuca pré-foda também é importante, afinal, você não vai querer cagar no pau e depois cair de boca né???

Tay

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Entrelinhas


Faça-me um favor, deixe-me ter todo seu prazer,
goza na minha boca e deixa eu te sentir, 
sentir o seu pau todinho dentro da minha boca
num vai e vem sem fim, roubando cada 
respiração de desejo sufocado que existe dentro de mim.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Histórias de Quinta



O mês de junho sempre foi meu preferido, o período perfeito para dançar muito e é lógico aprontar mais ainda. Este ano não foi diferente, no dia de São João fui convidada para a festa da empresa de advocacia que trabalho, ainda sem conhecer ninguém, fiquei meio receosa em aceitar o convite, mas em cima da hora decidi ir, mesmo que sozinha.

Coloquei um vestido de chita bem curto, florido, uma sandália rasteira, uma flor no cabelo e muitas ideias na cabeça e segui rumo à festa, que seria no pátio da empresa. Ao chegar percebi que alguns convidados já estavam alegres, enquanto que outros ainda desconfiados pensavam em todos os passos que iriam dá, para não serem alvo de fofocas na semana seguinte.

Sentei sozinha em uma mesa próxima ao palco, e logo comecei a perceber os olhares dos homens a minha volta, por ser nova na empresa ainda não falava com ninguém fora os assuntos profissionais, digamos que ainda fosse um mistério para todos. Logo em seguida, alguém toca em meu ombro e pergunta com uma voz grossa e rouca se poderia sentar, senti um arrepio, olhei de baixo para cima e vi um belo homem: alto, moreno, másculo,cabelos negros, e um belo volume na calça. Não o reconheci mais o convidei para sentar-se com uma condição, que antes dançássemos pelo menos uma musica. Ele aceitou e fomos para o meio do salão.

Sem falarmos nada começamos a dançar, e ele me agarrou bem forte, colocou sua perna entre as minhas e começou a roça-la discretamente na minha boceta, que logo ficou molhada. Paramos de dançar porque a banda iria começar o show, voltamos para a mesa e percebi que o volume inicial da calça estava no mínimo dobrado. E ele não satisfeito com a interrupção, começou a pegar nas minhas coxas, foi subindo para minha boceta, afastou minha calcinha, procurou meu grelo e começou a acariciá-lo, eu me segurando para não demonstrar para todos que estava louca de tesão e com a boceta implorando para ser fodida por aquele cara misterioso.  Quando estava para gozar ele precisou levantar-se e foi falar com umas pessoas em outra mesa. Durante o tempo que fiquei sozinha fiquei tentando descobrir quem ele era, o que fazia, mas foi em vão.

Quando a banda começou a tocar, a iluminação ficou mais baixa e ele voltou para mesa, me tirou para dançar e começamos a nos esfregar, sentia sua respiração ofegante em meu pescoço, o pau duro roçando em mim. Os bicos dos meus seios duros, boceta latejando e aquela vontade de foder que nos consumia. Ao final da musica ele me largou e foi em direção ao elevador, sem pensar duas vezes o segui, mas o perdi de vista, e quando estava passando em frente a uma sala vi a porta entreaberta e ele encostado na mesa, nu, cabeça baixa, segurando o pau, esperando para ser chupado. 

Entrei, fechei a porta e ajoelhei-me em frente a ele, segurei aquele pau grosso, grande e sentia as veias pulsando em minha mão. Coloquei a cabeça na boca e comecei a sugá-lo devagar, passei a língua por todo o pau, sem esquecer o saco, fui até embaixo, coloquei as bolas na boca, primeiro uma, depois a outra, toda a cena sendo olhada por ele com cara de desejo. Sem aguentar e com vontade de gozar, ele puxou-me pelos cabelos e me colocou sentada na mesa, começou a me beijar e a passar a mão por todo meu corpo, rasgou minha calcinha e me deitou na mesa, abrindo minhas pernas e começou a beijar minhas coxas, em direção a minha boceta, olhou para minha cara e foi em direção ao meu grelo, passando a língua com força para cima e para baixo, e em seguida começou a me foder com a língua. 

Puxava minha boceta em direção a cara, enquanto eu o segurava pelos cabelos e esfregava minha boceta molhada na cara dele, até gozar de maneira intensa e gostosa. Antes mesmo que pudesse me recuperar da gozada, me puxou e me colocou apoiada de frente para ele, tirou me vestido, enquanto chupava meus seios, colocava os dedos na minha boceta. Me virou de frente para a mesa, com a bunda empinada e começou a lamber minha bunda, passou a língua no meu cu, preparando para o que viria a seguir. Colocou primeiro um dedo e começou a enfiar devagar, depois mais um, até que sem aguentar de tesão disse para ele foder meu cu, meter aquele pau gostoso e me fazer gozar. Ao ouvir isso ficou louco e meteu o pau de uma vez, me fazendo gritar de dor e prazer, e começou a bombar no meu cu. Eu gemia de prazer, implorava para ele me bater e me fazer gozar, ele respirava ofegante, me chamando de puta e me dando uns tapas na cara, para em seguida gozarmos juntos, e cairmos quase desfalecidos sobre a mesa. 

Ficamos ali um tempo, ele deitado em cima de mim, sem falarmos nada. Quando nos levantamos, nos arrumamos e ele perguntou meu nome e em qual setor eu trabalhava, por que ainda não tinha me visto pela empresa, eu respondi: “- Meu nome é Sarah, trabalho no Departamento de Recursos Humanos, estou na empresa a uma semana, e tu?”. “Eu sou o Gabriel”. Não falou mais nada e voltamos para festa, cada um na sua mesa. Na manhã seguinte sem esquecer o que tinha acontecido fui pesquisar na página da empresa os funcionários, e descobri que Gabriel é um dos sócios-proprietários do escritório. Fiquei surpresa, sem saber o que pensar e a pergunta que não sai da minha cabeça até agora é: "O que será que vai acontecer semana que vem quando nos reencontrarmos???".

Tay