domingo, 15 de agosto de 2010

Doce Deleite


Dentro do cálice
Intrometo o falo!
Meus pés no chão,
Sentado a cama
E dou-te o colo.

Cavalga-me Amazona divina!
Conceda-me como teu Eros...
Toma posse de tua propriedade
Envolvendo-adentro de teu corpo.

Contra tuas costas a parede.
Meu peito incidindo sobre o teu,
Então. Corrompo-te...

Concheio em teu corpo.
Ontologicamente me causas,
Principia-me...

Por fim, a dança...
Saliva-me ao falo
Enquanto bebo do teu cálice.
Engendra meu mel,
Mata minha sede
E logo,
Bebes de meu néctar...

Tiago Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário