sexta-feira, 23 de julho de 2010

Entrelinhas


"Minha boca é pouca pro desejo que anda à solta..." (Martha Medeiros)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Histórias de Quinta


“Surpresa no Seminário”

Tina é uma estudante de Artes que adora museus, casarões e tudo relacionado ao passado do estado onde mora. Certo dia a turma da Universidade foi fazer uma visita a um seminário em uma cidade do interior, expectativa para a chegada, afinal, o local é cercado por Histórias e ficar de sexta a domingo em um local repleto de rapazes preparando-se para a vida na Igreja não faz parte da rotina dela.

Chegando ao seminário a recepção foi realizada por um padre e pelos seminaristas, todos com carinha de menino, com no máximo 20 anos cada um. A turma ficou louca, comentários e risadinhas invadiam o pátio, enquanto Tina observava Henrique, um belo rapaz que segundo ela estava desperdiçando a vida entrando para o seminário.

Depois de guardar as coisas Tina foi andar pelo local para conhecer, ao caminhar por um longo corredor ouve uma voz vinda de um pequeno quarto, era Henrique, estava lendo a bíblia. Tina não queria atrapalhar, passou em silêncio e foi para a varanda, sentou em um banco e ficou vendo as outras pessoas. Sentiu que estava sendo observada e quando se virou viu que era Henrique.

- Olá! Posso sentar-me com você??? Ele perguntou.

- Claro, fique a vontade, estamos na sua casa.

- Está gostando daqui???

- Sim, é tão bonito, calmo...

Enquanto trocavam as primeiras palavras Tina percebeu o olhar de Henrique, algo dizia que esse encontro seria especial.

- Então - continuou ela - o que o fez vir para cá???

- Bom, meus pais são muito católicos, e minha mãe sempre disse que eu seria padre.

- Mas queres isso??? És tão novo, não viveu nada ainda, essa decisão é para o resto da tua vida...

- É verdade, mas ainda dá tempo de desistir...

Falando isso Henrique olhou para Tina com um desejo antes não percebido, levantou-se e saiu.

Anoiteceu e os seminaristas sempre muito atenciosos ficaram contando histórias para a turma, como é viver ali, a rotina. Tina estava voando em seus pensamentos, lembrando da conversa de logo cedo, enquanto procurava Henrique, que não estava na conversa. Algum tempo depois ele surge, estava lindo, uma camisa branca, calça preta e chinelo. Senta-se ao lado de Tina em silencio e fica observando a conversa.

Alguns minutos passaram-se e para Tina pareciam sem fim, quando ela menos espera Henrique levanta-se e faz um sinal para ela segui-lo. Vão para um pátio pequeno, com uns bancos de ferro, sentam-se e Henrique sem falar nada a beija. Um beijo quente e molhado, Tina fica excitada e percebe que Henrique também corresponde, essa foi a deixa que Tina queria para partir para o ataque. Ele sentou-se e ela de joelhos na frente dele começa a acariciar seu pau, Henrique demonstrava que sabia o que viria pela frente, relaxou e ficou observando. Ela o beijou, levantou a camisa dele e começou a beijar a barriga, foi baixando e mordendo o pau ainda por cima da calça, não resistindo baixou a calça e a cueca e deparou-se com aquele pau duro pedindo para ser chupado. Tina começou a sugar a cabeça devagar, foi passando a língua de cima a baixo, entre as bolas, e o pau parece que ia explodir. Henrique a pegou pelos cabelos e começou a foder a boca dela que logo sentiu aquele jato de porra quente escorrer pelos lábios. Tina lambeu tudo, afinal, não poderia deixar nada sujo. Voltaram para o local que a turma estava, em silêncio desde o momento que saíram até a hora que foram deitar.

Na dia seguinte tudo correu bem, a turma foi conhecer o seminário e a cidade, passaram o dia inteiro fora e retornaram a tardinha. Após o jantar algumas pessoas foram deitar e outras ficaram conversando no pátio. Tina não viu Henrique o dia inteiro e compreendeu o afastamento, “ele deve está confuso”, pensou.
Tina foi para a varanda ler um livro, mas sempre procurando por Henrique, que até então não tinha dado sinal de vida. Ela acabou distraída lendo e quando percebeu todos tinham ido deitar, foi caminhando pelo corredor longo e escuro quando sente alguém a puxar pelo braço para dentro da biblioteca. Era Henrique, estava nervoso, mãos geladas e respiração ofegante.
- Precisamos conversar, ele falou.

- É verdade, quero te pedir desculpas pelo que aconteceu ontem, não queria te deixar confuso, disse Tina.

- Você não me deixou confuso

- Não???

- Pelo contrário, você me deixou excitado, com vontade de te comer naquele banco...

Henrique puxa Tina e começa a beijá-la com tesão, as mãos procuram o corpo dela, seios, bunda, boceta, que nesse momento já está melada e louca para ser fodida. Ele parece está fora de si, levanta o vestido dela, tira a calcinha e fica observando, em uma mistura de contemplação e desejo. A deita na mesa, e começa a beijá-la, orelha, pescoço, colo, seios, e estes merecem atenção especial, passa a língua nos biquinhos duros e começa a sugá-los, acariando e apertando os seios dela. Vai baixando beijando a barriga e finalmente fica a frente daquela boceta quente e úmida. Começa a lamber pela virilha e em seguida abre devagar com os dedos e começa a passar a língua por toda a boceta, dando umas mordidinhas deixando Tina louca. Passa a língua no grelo e começa a esfregá-lo com o dedo, para em seguida começar a fodê-la com a língua e um dedo, e ela pede que coloque mais um, mais dois, e Henrique obedece fazendo ela gozar.

Sem perder tempo Henrique tira a roupa e a coloca em pé, apoiada na mesa, a beija pela nuca e costa, sussurra em seu ouvido que quer fodê-la, que seu pau já está para explodir de tão duro, acaricia a bunda dela passando o pau entre as nádegas, de cima a baixo, Tina não agüenta mais e implora para ser comida, ele mete o pau devagar, vendo cada centímetro ser devorado por aquela boceta quente, e quando já está tudo ele começa a estocá-la, devagar, aproveitando o prazer que está sentindo e o que está proporcionando. Ela pede para ele bater, ouvindo isso Henrique fica louco e começa a meter com força, parece que vai rasgá-la, geme, a chama de puta, vagabunda, bate na cara e na bunda e a puxa pelos cabelos, quando sente que vai gozar para e faz um pedido especial, comer o cu de Tina. Ela diz que sim e Henrique mete devagar, sentido aquele cu apertado devorar seu pau. Tina geme e começa a rebolar, ele parece não acreditar no que está acontecendo e começa a meter com força e bem fundo, a segura pela cintura e pelos cabelos, Tina pede mais, com mais força e Henrique já louco de tesão goza naquele cu tão gostoso. Em seguida Henrique e Tina vestem-se e saem da biblioteca, cada um para seu quarto.

No domingo chegou a hora do almoço e a turma ia partir, as despedidas foram demoradas, trocas de lembranças, telefones, emails. Tina aproxima-se de Henrique, o abraça e ele diz:

- Tina, vou estudar na Itália, vou semana que vem. Bom que nos encontramos antes. Você foi a melhor coisa que aconteceu desde quando vim morar aqui, nunca vou te esquecer...

- Henrique, desde quando te vi a primeira vez senti algo especial. Que bom que serei uma lembrança boa para você. Chegou a hora de partir, adeus Henrique. Espero que esteja fazendo a melhor escolha...

- Adeus Tina, eu farei a melhor...

Tay

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Devore-me

 Cruzamento Safado

Descrição: A mulher deita de costas sobre uma mesa, com o quadril bem na beirinha. Levanta as pernas em um ângulo de 90 graus, o parceiro a segura pelos tornozelos. Ele a penetra e controla a intensidade dos movimentos cruzando e descruzando suas pernas, como se fossem uma tesoura abrindo e fechando.

Vantagens: Poucas posições oferecem tantas sensações deliciosas. Uma hora, o pênis fica tão comprimido dentro da sua vagina que mal pode se mexer; no momento seguinte, quando suas pernas se abrem, ele se move em estocadas profundas. Essa alternância é absolutamente enlouquecedora.

Desvantagens: Não há.

Tay

domingo, 11 de julho de 2010

Doce Deleite


Inconfesso Desejo - Carlos Drummond de Andrade


Queria ter coragem
Para falar deste segredo
Queria poder declarar ao mundo
Este amor
Não me falta vontade
Não me falta desejo
Você é minha vontade
Meu maior desejo
Queria poder gritar
Esta loucura saudável
Que é estar em teus braços
Perdido pelos teus beijos
Sentindo-me louco de desejo
Queria recitar versos
Cantar aos quatros ventos
As palavras que brotam
Você é a inspiração
Minha motivação
Queria falar dos sonhos
Dizer os meus secretos desejos
Que é largar tudo
Para viver com você
Este inconfesso desejo

sábado, 10 de julho de 2010

Fio Terra


Tão polêmico como o famoso sexo anal, o fio terra nada mais é do que meter o dedo no cu do cara na hora do sexo...

A grande preocupação dos homens é serem taxados de gays por praticarem esse tipo de modalidade. O discusso é aquele: "No bumbum que mamãe passou talquinho ninguém mete o dedo...". Tudo bem querido, não precisa ficar nervoso, o fato de gostar de caricias nessa região, não quer dizer que és gay, prazer anal não é sinônino de homossexualismo, a não ser que gostes de uma dedada mais máscula...

Muitas mulheres encaram o desafio do fio terra como um teste, tipo, se o cara aceitar é gay. PQP!!! De onde tirastes isso queridinha??? Raciocina com a Tay: cu de homem e cu de mulher têm a mesma função orgânica, não é verdade??? Ou seja, não importa no corpo de quem, cu é cu para qualquer um dos dois. Claro!!! E se é tudo igual, então temos as mesmas capacidades de sentir prazer quando o dito cujo é tocado. Resumindo: fio-terra pode ser prazeroso tanto para homens como para mulheres, independentemente de serem homossexuais ou não.

Mas por favor, antes de sair dedando os caras ou enfiando qualquer artefato onde não vou chamada é bom ter uma conversa objetiva sobre o assunto, e para os caras que curte mas nunca pedem, é um carinho muito intimo, só deve ser pedido depois de um tempo de relacionamento, pois um pedido desses logo de cara pode assustar alguma mulher não tão mente aberta.

Vale lembrar que tudo depende da cabeça de pessoa para pessoa, o cu é uma região que pode dar muito prazer ou pode dar uma sensação de mal-estar. Entre quatro paredes, ninguém tem a obrigação de gostar de nada, a única obrigação é sentir prazer...

Tay

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Entrelinhas

"Não há discurso erótico que resista à mudez desta nudez tumultuosamente sinfônica" (Noel Ferreira)

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Devore-me

Foto: Arte Abril.com
 
O Balanço 
 
Descrição: O homem se deita de barriga para cima, completamente esticado, ou apoiando-se nos braços para ficar com as costas ligeiramente erguidas. Dando as costas para o seu par, a mulher senta-se em cima dele, posicionando um joelho de cada lado dos quadris do companheiro.

Vantagens: Esta posição faz os músculos da vagina ficarem dilatados, favorecendo uma penetração mais profunda. Um dos pontos altos desta posição é que o homem tem um excelente estímulo visual, por que pode ver como se desenvolve a penetração, além de ter uma visão perfeita das nádegas e da vagina da companheira. Há ainda a grande liberdade de movimento dos dois, bem como o fato de a mulher sentir ainda mais prazer devido ao ângulo em que o pênis poderá roçar as paredes vagina.

Desvantagens: Não há

Tay

terça-feira, 6 de julho de 2010

Plenos Prazeres


Você já ouviu falar em Milo Manara??? Não??? Tudo bem, você não tem culpa de morar em outro planeta...

O italiano Manara é uma das referências em quadrinhos eróticos, com desenhos de mulheres com linhas mais simples e limpas, mas sempre com uma pitada de sexualidade, uma fixação por nádegas firmes, quadris largos, seios grandes e semblante angelical.

Muitos dos desenhos feitos pelo artista contêm temas como bondage, sadismo, voyeurismo e acontecimentos sobrenaturais.

Se você se interessou e quer conhece um pouco mais sobre esse artista tão talentoso, vale a pena começar por obras como a Série Clic, um clássico de Manara. Bom, não conto do que se trata para não perder emoção...

Tay

domingo, 4 de julho de 2010

Doce Deleite


Uma Mulher - Bruna Lombardi

Uma mulher caminha nua pelo quarto
é lenta como a luz daquela estrela
é tão secreta uma mulher que ao vê-la
nua no quarto pouco se sabe dela

a cor da pele, dos pêlos, o cabelo
o modo de pisar, algumas marcas
a curva arredondada de suas ancas
a parte onde a carne é mais branca

uma mulher é feita de mistérios
tudo se esconde: os sonhos, as axilas,
a vagina
ela envelhece e esconde uma menina
que permanece onde ela está agora

o homem que descobre uma mulher
será sempre o primeiro a ver a aurora.

sábado, 3 de julho de 2010

Gang Bang


Essa é uma das modalidade sexuais mais praticadas em filmes pornôs. Quem nunca viu a cena em que uma mulher é comida por três ou mais caras??? E ainda tem aquela cena clássica onde a mulher abre a boca e espera aqueles jorros de gala vindo de todas as direções e dos mais diferentes paus...

Se ainda não visualizou a cena eu explico:

Gang Bang representa uma cena onde uma mulher mantém relações sexuais com três ou mais homens, um homem mantém relações sexuais com três ou mais mulheres.

Recentemente o vocábulo "Gang Bang" denomina também as reuniões de sexo grupal entre várias mulheres e homens simultaneamente. Desta forma esta relacionado ao sexo heterossexual e sexo grupal. Existe toda uma mitologia e publicidade em relação ao gênero pornográfico do Gang Bang, de forma que as atrizes pornograficas se esforçam para superar suas concorrente em número de relações sexuais em um mesmo filme.

Abaixo uma lista com 10 atrizes recordistas em número de relações sexuais em um único filme pornô heterossexual:
1º. Sabrina Johnson - 2000 homens, 2 dias
2º. Lisa Sparxxx - 919 homens, 1 dia
3º. Patricia Kennedy- 898 homens, 1 dia
4º. Marianna Rokita - 759 homens, 1 dia
5º. Candy Apples - 721 homens, 1 dia
6º. Klaudia Figura - 646 homens, 1 dia
7º. Spantaneeus Xtasy - 551 homens, 1 dia
8º. Houston - 500 homens, 1 dia
9º. Jasmin St. Claire - 300 homens, 1 dia
10º. Annabel Chong - 251 homens, 1 dia

Eu acho uma fantasia interessante, qual a mulher não gostaria de ser desejada e comida por vários caras né??? Mas, sinceramente eu acho que a industria pornô manipula os filmes sobre Gang Bang. Gente eu acho humanamente impossivel uma mulher foder com 2000 caras em 2 dias. Se alguém conseguir essa proeza o filme deve ser patrocinado pela Hipoglós...

Tay

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Entrelinhas


"Hás de ter ainda o intenso olhar que me entendia, as curvas amorosas da boca que chamou meu nome, as belas, inquietas mãos que ardiam nas minhas..." (Lya Luft)