domingo, 21 de fevereiro de 2010

Doce Deleite


Contenda - Walter Dimenstein

Começa a doce contenda

As tuas partes pudendas

Túrgidas e deslizantes

Abarcam meu corpo fálico

Semipétreo e pulsante

E flui o êxtase mágico

Com murmúrios e caricias

Ó que sublime delícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário