domingo, 6 de dezembro de 2009

Doce Deleite


Amarras - Señorita Malagueta

Corpo atado, feito nó de marinheiro
Laçada e presa em cais desconhecido
Onde o vento sopra e toca-me
Tortuosos são meus desejos
Desejo carnal de ser desatada
Descoberta, despudorizada!
Desejo ardendo em carne VIVA!
Destranca-me com teu membro encantado
Cheio de vigor e sem nenhum pudor
Rasga-me a pele

Fere -me
Faz -me sangrar
Eleva-me a portais carnais
Embriaga e entontece meu sexo
Me arde, me assanha
Num gozo me perverte

Nenhum comentário:

Postar um comentário