quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Histórias de Quinta



"Aquela noite..."

Bruno é um rapaz tímido, magro, baixo, com 21 anos, todos ainda acham que é um adolescente. A pouco tempo entrou para a aula de natação, um pequeno problema no joelho o obrigou a praticar algum exercício, e a idéia de nadar era a que mais agradava. As aulas aconteciam a noite, no ultimo horário, e sem muita emoção, até que um dia chegou um aluno novo, Diego era seu nome. Um homem de 35 anos, moreno, alto, forte, e com um corpo que era um tesão. Logo no primeiro dia de aula Diego veio provocante, com uma sunga branca e justa que mostrava todos os detalhes daquele pau grande e grosso. Bruno perdeu até a concentração no que o professor falava, e viu que Diego percebeu seu interesse. Quando a aula terminou os alunos foram para o vestiário e por “coincidência” Bruno e Diego ficaram frente a frente. Diego era muito exibido, foi logo tirando a sunga, no começo ficou de costas, mostrando apenas o corpo másculo, aquela bunda deliciosa. Bruno queria disfarçara excitação e também virou de costas, olhando disfarçadamente de vez em quando. Logo Diego começou a puxar papo: “E ai cara, nada aqui faz muito tempo?”, Bruno não sabia nem como começar a conversa de tão nervoso, e só respondeu “sim”, virando para Diego e podendo ver o tamanho daquele pau maravilhoso. Diego insistia na conversa e se exibia ainda mais, deslizando o sabonete de maneira sexy. Bruno foi relaxando e a conversa começou a fluir. Depois de um papo meio formal, Diego pergunta por que Bruno não tira a sunga para tomar banho mais a vontade. Nesse momento Bruno ficou sem graça, Diego percebe que estão a sós e se aproxima dele. Eles se olham nos olhos, respirações ofegantes, os corpos se tocando sobre a água quente e a excitação a flor da pele. Diego puxa Bruno contra seu peito e pega no pau dele dizendo ao pé do ouvido: “Pelo que percebi estais tão a fim quanto eu, não precisa ter medo...”. Nesse momento vai abaixando e tirando a sunga de Bruno, para em seguida começar a chupá-lo com vontade. Lambia, sugava, chupava, descia até o saco, subia e voltava a engolir aquele pau gostoso, acariciando o saco e as coxas. De repente Diego sobe, coloca Bruno apoiado de frente na parede, e começa a beijá-lo, nuca, pescoço, costas. A água percorrendo os corpos aumentava o tesão. Bruno já estava louco e pedia para ser fodido, empinou a bunda e Diego começou a pincelar a cabeça daquele pau grosso no cuzinho dele. Segurou Bruno pela cintura e começou a socar devagar. “Que cu apertadinho você tem, vou ter que forçar um pouco”. Parece que aquele pau nunca ia entrar de tão grande e grosso que era. Bruno sentia cada centímetro daquele pau entrando, gemendo em uma mistura de prazer e dor. Diego forçava cada vez mais e Bruno para tentá-lo começou a gemer mais alto, pedindo para ser fodido, para meter logo tudo. Diego ficou tão louco que meteu com força e começou um entra sai e gostoso, Bruno rebolava e Diego metia bem no fundo, tirava e tornava a colocar, eles gemiam feito dois animais no cio. Diego sentindo que ia gozar mandou Bruno ficar de joelhos. Bruno entendeu muito bem o que ele queria, pegou aquele pau com vontade e começou a acariciar, chupar, e logo a boca dele foi invadida por um jato quente e generoso de porra. Bruno engoliu o que pode, até a última gota. Diego gemeu aliviado, encostou na parede, puxou Bruno contra o peito e o beijou, sentindo o gosto do próprio gozo. Em seguida, Diego voltou para o seu chuveiro, terminaram o banho e quando estavam de saída finalmente apresentaram-se, junto com a promessa de novos encontros...

Tay

Um comentário: