sábado, 20 de junho de 2009

Bareback


Você ja ouviu falar em Bareback???

O termo é derivado da palavra barebackers, usada em rodeios para designar os caubóis que montam a cavalo sem sela ou a pêlo, e ficou conhecido internacionalmente como uma gíria para o sexo sem camisinha, praticado de preferência em grupo, em festas fechadas, por homens sorodiscordantes (HIVs positivos e negativos).

Além deste grupo mais extremo, tem os que não usam camisinha por opção. Segundo eles, seria uma tentativa de retirar o medo e culpa que envolvem o sexo entre homossexuais. O bareback seria então uma alternativa, uma filosofia da forma como encarar o sexo, cabendo somente a negociação entre os parceiros o uso da camisinha. Há grupos fechados de praticantes do bareback que são extremamente rigorosos a exames de HIV e outras DSTs (doenças sexualmente transmíssiveis. Este grupo não pretende e nem quer contrair o vírus do HIV, tomando todos os cuidados possíveis para que a doença não contamine o grupo. Desta forma os integrantes sentem-se mais seguros até do que usando camisinha com parceiros eventuais. Há ainda um outro grupo de praticantes do bareback, que o fazem por considerar a camisinha algo desconfortável ou porque tira a "intimidade" da relação.

O pessoal do bareback possui uma linguagem própria:
  • Barebacking Parties: Sexo em grupo sem camisinha
  • Bug Chaser: HIV negativo querendo ser HIV positivo
  • Gift Givers: HIV+ querendo contaminar HIV-
  • The Gift: o HIV
  • Conversion Parties: festas onde os Bug Chaser são convertidos em Gift Givers.
  • Russian Roulette Parties: Festas onde existem pessoas HIV+ e HIV-.
  • Bug Brothers: Grupo de pessoas HIV+
  • Charged Cum ou Poz Cum: Sémem com HIV
  • Fuck of Death: Sexo quando é transmitido o HIV
Há regras, e elas são claras. É condição imprescindível ficar nu ou no, máximo, com uma toalha amarrada na cintura. Quem se recusa é convidado a se retirar. Outra exigência: o sexo tem de ser praticado nos ambientes comuns de convivência. Ou seja, nada de se trancar em banheiro, em cozinha, em quarto. Ali, todos estão para ver e serem vistos.

Ainda não há estudo com precisão estatística sobre o número de praticantes de bareback no Brasil, independente de orientação sexual. E apesar do conceito de barebacki estar associado a orgias freqüentadas por homens que praticam sexo com homens, qualquer pessoa, independentemente de orientação sexual, que busca o prazer sem lançar mão de camisinha é um barebacker.

Quando descobri essa "modalidade" confesso que fiquei impressionada pelo fato das pessoas estarem dispostas a contrair o HIV. Sei que cada um é dono do seu corpo, sua cabeça é o seu guia, mas, encarar uma situação dessas é trash demais. Antes de participar desses encontros esteja ciente do que esteja por vir e pense nas consequencias...

Tay

2 comentários:

  1. Simplesmente brutal... e ridiculo!
    EU hein... tem doido pra tudo mesmo! nao sabia dessas!

    ResponderExcluir
  2. Chocada!
    Quer dizer, chocada não, mas grandemente impressionada, no mínimo.
    Queria saber de mais dados sobre a vida dessas pessoas, o que fazem, quais as espectativas de vida, situação social, relacionamentos, etc.

    Já amaaaay seu blog Tay!

    ResponderExcluir