domingo, 3 de maio de 2009

Doce Deleite


Eternamente Sua - Tatiana V. Mattos

Serei eternamente sua pois,

só tu conheces meu cheiro,

meu gosto e meu corpo.


Tu podes me magoar,

me fazer calar e,

ainda assim serei eternamente sua.


Deixarei que beijes outras bocas,

que toques outros corpos,

que sintas o prazer de outros gemidos

e que conheças o íntimo de outros seres.


Deixarei
para ter a certeza de que
voltarás e que entenderás que

quando beijaste outra boca

– era a minha que tu querias,

que quando tocaste outro corpo

– era o meu que querias tocar,

que quando sentiste o prazer de outro gemido

– era o meu que querias sentir e, que,

finalmente, quando conheceste

o interior de outro ser

– era o meu interior que tu buscavas

em tuas infinitas procuras.


Deixarei-te livre, para teres a certeza

de que és meu e, assim voltar

com a certeza de que ficarás.

E então, depois de tantas buscas infindas suas,

revelarei-te que estava a sua espera,

assim como sempre estive.

E seremos eternamente nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário